CPI pede documentos à Secretaria de Mobilidade Urbana

Por Editor

O prazo para apresentação da documentação é de sete dias úteis 

Redação

As primeiras oitivas realizadas pela CPI dos contratos revelaram fatos importantes que subsidiaram o andamento das investigações sobre o contrato da Prefeitura de Cuiabá com a empresa Rodando Legal.

Foram ouvidos na terça-feira (31 de agosto) o gestor de contrato, Michel Diniz de Paula, o fiscal do contrato, Lucimar Martins Sobrinho, ligados a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob).

A comissão solicitou ao gestor do contrato a juntada de alguns relatórios, notificações e documentos que reúnam as informações declaradas no depoimento que venham a corroborar com as investigações em andamento. O prazo para apresentação da documentação é de sete dias úteis.

“Fizemos os nossos questionamentos aos depoentes, o gestor do contrato ficou de nos apresentar documentos para que sejam confrontados. Já o fiscal do contrato afirmou que ficou apenas dois meses à frente do contrato e renunciou à função em razão da falta de autonomia. Estamos avançados na parte documental da CPI, embora a empresa esteja apresentando documentação de forma segmentada, estamos  trabalhando para seguir com a finalidade da CPI e continuaremos requisitando aquilo que julgarmos necessário’, explicou o relator da CPI, vereador Demilson Nogueira.

Também foi ouvida uma testemunha convidada pela comissão para relatar sua experiência. Jeferson Fonseca revelou ter sido preso acusado de receptação, após adquirir uma moto de um leilão promovido pela Semob. A motocicleta foi apreendida, porém o prejuízo, segundo a testemunha, não foi ressarcido completamente, sendo necessário ingressar uma ação por ter sido prejudicado inclusive com as acusações sofridas.

A próxima oitiva tomará o depoimento do ex-secretário de Mobilidade Urbana, Antenor Figueiredo.

CPI – A CPI tem como objeto a investigação de todos os contratos, emergências ou não, celebrados pela Prefeitura Municipal de Cuiabá e seus entes, a partir do ano 2013, incluindo-se autarquias e PPPs (Parcerias Público Privadas).

Integram a comissão os vereadores Chico 2000 (PL), como presidente, Demilson Nogueira (PP), como relator e Rodrigo Arruda e Sá (Cidadania), como membro titular.

Você pode gostar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: