Deputado diz que estudante que ficar no ensino não presencial terá “derrota” no Enem

Por Editor

Presidente da Comissão de Educação da Assembleia afirma que momento exige retorno das aulas na modalidade híbrida

Redação

O retorno das atividades na modalidade híbrida na rede estadual de educação foi defendido pelo presidente da Comissão de Educação na Assembleia Legislativa, deputado Wilson Santos.

O parlamentar lembrou que, no ano passado, após inúmeras discussões, foi contra este retorno, mas enfatizou que o momento é outro e é necessário agir com responsabilidade.

Ele enfatizou o caso dos estudantes do Ensino Médio que, em três meses, terão que fazer as provas.

“A rede privada está toda de volta e vai ter Enem. Sabemos que o nível de aprendizagem é muito pequeno no ensino remoto. Sou professor de sala de aula, lecionei mais de 20 anos, e posso afirmar que o aprendizado no ensino presencial é muitas vezes superior. O estudante do Ensino Médio, da rede pública, que continuar fora da sala de aula, qual o nível de competição terá com os estudantes da rede particular? É derrota no Enem”.

O parlamentar acrescentou que o isolamento do estudante da rede estadual só vai aumentar o “fosso entre a rede publicar e particular”.

O secretário de Estado de Educação, Alan Porto, reforçou que o retorno das aulas na modalidade híbrida tem como foco a recuperação da aprendizagem e a preocupação com os estudantes do Ensino Médio é grande. Lembra que foram mais de 16 meses de estudantes longe das salas de aula.

“A avaliação diagnóstica comprovou que o ensino remoto não é eficiente. Os professores se desdobraram, se reinventaram, trabalharam como nunca, mas nada substituiu a educação olho no olho e isso ficou comprovado. Voltamos com um planejamento sério, que além de toda a biossegurança, tem a intervenção pedagógica que já começou a ser colocada em prática”.

O secretário lembrou que a Seduc vai oferecer também o Pré-Enem Digital, para reforçar a recuperação da aprendizagem para os estudantes do 3º ano do Ensino Médio que vão ter seus conhecimentos testados nos dias 21 e 28 de novembro.

O plano de recuperação da aprendizagem ainda incluiu formação continuada dos professores, que teve início em janeiro deste ano, material pedagógico impresso, avaliações constantes para intervenção imediata, material complementar de socioemocional, educação financeira e consciência fonológica.

Dados na Assembleia

O secretário Alan Porto foi até a Assembleia Legislativa, na manhã desta terça-feira (17.08), a convite do deputado Lúdio Cabral. Na oportunidade, apresentou os dados dos primeiros dias da volta as aulas na modalidade híbrida, enfatizando que os casos confirmados de Covid-19 não atingem nem um por cento dos profissionais da educação e dos estudantes.

“Hoje temos 103 casos confirmados em 79 escolas. Isso representa 0.009% de casos positivos entre os mais de 420 mil profissionais e estudantes. Ou seja, 99,99% estão tendo as atividades dentro do programado, cumprindo os protocolos de biossegurança”.

Alan porto reforçou que o ensino continuará na modalidade híbrida, com cumprimento de todos os protocolos de biossegurança e monitoramento constante. “Vamos iniciar a recuperação da aprendizagem dos estudantes, pois não podemos mais permitir que os filhos das escolas públicas continuem acumulando prejuízos incalculáveis”.

Você pode gostar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: