Destinação de recursos garante cestas básicas para famílias de imigrantes

Por Editor

O repasse de 18 mil reais é proveniente de condenações por dano moral coletivo em processos coletivos ajuizados pelo Ministério Público do Trabalho na Justiça do Trabalho em Mato Grosso

Redação

Dezenas de famílias de imigrantes que residem em Cuiabá estão recebendo cestas básicas para aliviar as dificuldades enfrentadas durante a crise gerada pela pandemia. A ação foi possível com uma destinação do Comitê Interinstitucional Gestor de Ações Afirmativas à Pastoral do Migrante em Cuiabá, onde muitas famílias buscam apoio diariamente.

O repasse de 18 mil reais é proveniente de condenações por dano moral coletivo em processos coletivos ajuizados pelo Ministério Público do Trabalho na Justiça do Trabalho em Mato Grosso, bem como da execução de termos de ajustamento de conduta (TAC). O valor repassado vai proporcionar a aquisição de 150 cestas básicas.

O projeto para conseguir a destinação foi apresentado pelo diretor da Pastoral, padre Valdecir Molinari. Ele destaca a importância da parceria com a Justiça do Trabalho para ajudar os imigrantes de Cuiabá. “A demanda de pedidos de ajuda é grande. A gente busca sempre ajudar com alimento porque o que muitos deles ganham mal dá para pagar o aluguel. Não basta ensinar a pescar, porque eles não têm onde pescar. Temos que manter a esperança viva por meio dessa ajuda com cestas básicas”.

O Centro de Pastoral para Migrantes é uma casa de acolhida e apoio para migrantes que chegam pela capital do estado.

Segundo Molinari, a ajuda se faz cada vez mais necessária, já que Cuiabá passou a ser lugar de destino de muitos imigrantes, de diferentes nacionalidades, como venezuelanos, haitianos, cubanos, colombianos e outros “que na ânsia de conseguir trabalho, rompem fronteiras e se deslocam para cá em busca do que lhes é negado em sua própria pátria”.

“São trabalhadores que fazem da itinerância sua forma de sobrevivência, que lutam, resistem e avançam, movidos sempre pela esperança de dias melhores e tornando-se, na maioria das vezes, presas fáceis de um sistema perverso, excludente e opressor”, concluiu.

Comitê

O Comitê Interinstitucional Gestor de Ações Afirmativas atua fazendo a gestão e a destinação, a projetos sociais, de recursos oriundos de condenações por dano moral coletivo e de multas aplicadas em processos judiciais coletivos e por descumprimento de Termo de Ajustamento de Conduta que tramitam na Justiça do Trabalho.

O Comitê é formado por um representante do TRT de Mato Grosso, um do MPT/MT e um da OAB/MT.

Você pode gostar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: