Fórum Agro pede a AL novo estudo do Zoneamento Socioeconômico e Ecológico

Por Editor

Segundo o presidente da Associação, o novo projeto, além de restringir áreas de atividade econômica desses municípios, ainda aumenta áreas de proteção ambiental, áreas alagadas e etc

Entidades do setor produtivo, lideradas pelo Fórum Agro, pediram à Assembleia Legislativa (AL) um novo Zoneamento Socioeconômico e Ecológico (ZSEE-MT). Em reunião nesta quarta (14.04), representantes da FIEMT, CIPEM, Aprosoja, e Fórum apresentaram ao presidente Max Russi (PSB) um documento com pontuações sobre Zoneamento, que está em produção na Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão – SEPLAG. Foi decidido ainda a criação de um grupo de trabalho com foco na produção de estudo mais detalhado acerca da proposta em trâmite administrativo no Estado.

“Após uma profunda análise, nosso objetivo é propor um novo estudo, com o cenário atual das atividades envolvidas e que seja mais coerente com a realidade de Mato Grosso”, afirmou o presidente do Fórum Agro MT, Itamar Canossa.

Além das entidades que compõem o Fórum Agro MT, a Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), o Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem) e a Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso participaram da reunião e apoiam o pedido da realização de um novo estudo.

Em fevereiro, o presidente da Acrimat, dr. Oswaldo Pereira Ribeiro Jr, destacou que a Acrimat tem trabalhado para defender os interesses dos produtores. “Somos radicalmente contra qualquer tipo de restrição de atividade econômica que não vá contra ao nosso já tão restritivo código florestal. Conseguimos trazer para o debate vários deputados e a associação dos municípios que também se sentem sufocados com esse novo problema”.

Segundo o presidente da Associação, o novo projeto, além de restringir áreas de atividade econômica desses municípios, ainda aumenta áreas de proteção ambiental, áreas alagadas e etc. “Lutaremos até o fim para preservar os direitos do produtor”, asseverou Oswaldo Ribeiro, que ressaltou a necessidade da formulação de um novo ZSEE-MT.

O presidente da Famato em exercício, Marcos da Rosa, defendeu que o projeto de Zoneamento proposto pela Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (Seplag-MT) está defasado e traz sério problemas socioeconômicos para Mato Grosso.

O presidente da ALMT, deputado Max Russi (PSB), recebeu o documento, concordou que o projeto precisa ser revisto e colocou o parlamento à disposição para discutir o tema. “É uma pauta que tem que ser debatida, não será aprovada da forma que está, até porque e prejudica grande parte do setor produtivo. Nessa legislatura contamos com muitos deputados que defendem este segmento e reconhecemos a importância deste para o Estado. Estamos aqui para ajudar no que for preciso para que este projeto seja aprovado da melhor forma”, defendeu.

Você pode gostar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: