Governador pede prioridade na implementação do Novo Ensino Médio

Por Editor

Secretário Alan Porto explica que mudanças, com a formação profissional e técnica, começam a valer em 2022 para cerca de 50 mil alunos do 1º ano do Ensino Médio

Redação

O governador Mauro Mendes pediu prioridade da Secretaria da Estado de Educação (Seduc-MT) na implementação do Novo Ensino Médio em Mato Grosso. Detalhes do plano foram apresentados pelo secretário de Estado de Educação, Alan Porto, na manhã desta quinta-feira (26.08). As mudanças, com a formação profissional e técnica, começam a valer em 2022 para cerca de 50 mil alunos do 1º ano do Ensino Médio da rede pública de ensino.

“É uma grande oportunidade de fazer um Ensino Médio que agregue valores, oportunidades aos nossos estudantes”, afirmou Mauro Mendes.

O Documento de Referência Curricular de Mato Grosso – Etapa Ensino Médio, foi homologado em maio deste ano e publicado em Diário Oficial por meio da Portaria Nº 356/2021.

As mudanças seguem as alterações definidas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), em 2017, assim como nas Diretrizes Nacionais do Ensino Médio (2018) e a homologação da Base Nacional Comum Curricular (2018).

Alan Porto enfatizou que entre as principais mudanças estão o aumento da carga horária de 800 para 1.000 horas anuais e a organização curricular em cinco itinerários formativos.

“O Novo Ensino Médio garante possibilidades de escolhas aos estudantes, que são os itinerários formativos, com foco nas áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional. O objetivo principal é garantir a oferta de educação de qualidade e aproximar as escolas à realidade dos estudantes, preparando-os para o mercado de trabalho e também para a vida em sociedade”.

Além da formação geral básica – Matemática e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Linguagens e suas Tecnologias, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas – que será mantida, será inserido o itinerário formativo com Projeto de Vida, Eletivas e Trilha de Aprofundamento (Educação Profissional e Tecnológica).

A formação geral terá carga de 1.800 horas e os Itinerários Formativos 1.200 horas ao longo dos três anos.

Itinerário formativo

Secretário Alan Porto ressalta que o itinerário formativo representa a grande transformação no Ensino Médio. É um conjunto de disciplinas, projetos, oficinas, núcleos de estudo que os estudantes poderão escolher.

Os itinerários formativos podem se aprofundar nos conhecimentos de uma área do conhecimento e da formação técnica e profissional (FTP) ou mesmo nos conhecimentos de duas ou mais áreas e da FTP.

O currículo vai possibilitar aos estudantes aprofundar seus estudos nas áreas de conhecimento que mais se identificam ou, ainda, em cursos ou habilitações de formação técnica e profissional. “O ensino vai se tornar mais interessante, além do estudante poder sair com uma formação profissional e técnica direto para o mercado de trabalho”.

Rede pública e parceiros

O plano de implementação prevê que os itinerários Projeto de Vida e Eletivas serão trabalhados pelos próprios professores da rede estadual de ensino. Já em relação à Trilha de Aprofundamento, a Seduc fará parcerias, hoje discutidas com o Senai e a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secitec).

Em 2021, a Matriz do Novo Ensino Médio será aplicada em 71 escolas que oferecem o Ensino Médio em Mato Grosso e já possuem requisitos técnicos, como ensino em período integral. Nas outras 241 escolas será aplicada a Matriz de Transição.

Planejamento

Desde 2018, quando foi publicada a resolução da Base Nacional Curricular Comum na Etapa do Ensino Médio, começaram os trabalhos para elaboração do DCR-MT. Nesse período foi instituído um comitê de acompanhamento de implementação e realizadas audiências públicas e rodas de conversas sobre o tema, totalizando mais de 12 mil contribuições e 10 mil participantes.

Para a elaboração do material, houve uma preocupação em respeitar as diferentes realidades vividas pelos estudantes mato-grossenses, como os indígenas, os quilombolas e os do campo.

“O DRC-MT é um documento muito robusto, que permite atender a diversidade das nossas juventudes presentes dentro do estado de Mato Grosso. Estamos preparados para dar passos importantes para melhorar a formação dos nossos estudantes do Ensino Médio, preparando-os de fato para o novo cenário”, destaca o secretário de Educação.

O secretário acrescenta que o Novo Ensino Médio trará mudanças significativas para a vida dos alunos da rede pública estadual de ensino, mas trará principalmente pessoas preparadas para aturarem na grandiosidade econômica que é o Estados. “Se somos referência no agronegócio, nossos alunos poderão dizer que são referência de ensino no país”.

Você pode gostar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: