IML é o maior polo de captação de córneas para transplantes em MT

Por Editor

A diretoria participa como facilitadora da doação de córneas, a partir da cessão da estrutura para que as coletas sejam realizadas

Redação

A Diretoria Metropolitana de Medicina Legal é um dos maiores polos de captação de córneas da Capital. Somente neste ano, até o momento, foram realizadas 127 doações. Esse material, após coletado, é disponibilizado para a fila de receptores do Banco de Olhos em todo o Estado de Mato Grosso, mediante autorização de familiares das vítimas de morte violenta que são encaminhadas ao órgão.

A diretoria participa como facilitadora da doação de córneas, a partir da cessão da estrutura para que as coletas sejam realizadas. No entanto, os servidores não participam ativamente da captação do material.

No ano de 2017, um termo de cooperação firmado entre a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) e o Banco de Olhos de Cuiabá possibilitou que a Diretoria Metropolitana de Medicina Legal (DMML) pudesse atuar como facilitadora da doação de córneas em Cuiabá.

Conforme o coordenador técnico do Banco de Olhos da capital, Alexandre Roque dos Santos, 99% das córneas captadas pela instituição são provenientes da DMML. Atualmente existem 280 pacientes na fila de espera por doação de córneas no Estado, e mais de 2 mil transplantes já foram realizados.

“O Banco de Olhos figura em quarto lugar no ranking nacional do aproveitamento de córneas colhidas, se não fosse este apoio jamais o nosso estado estaria a frente e estar em os 4 que mais transplanta córneas no país”, citou.
“A gente se esforça para liberar para a enucleação em até 6 horas depois da morte. Após coletadas, as córneas são disponibilizadas para a fila de receptores de todo o estado”, explica o diretor metropolitano de Medicina Legal, Eduardo Andraus.

Como Doar

Além do IML, a captação também é feita no Hospital Municipal de Cuiabá. Se alguma família desejar doar as córneas do seu ente querido, o paciente precisa estar em morte encefálica, ou em parada cardíaca atestada pelo médico. O prazo para que o procedimento de coleta seja realizado é entre 6h a 12h após a morte se o corpo estiver refrigerado.

Os trâmites para a captação devem ser feitos através da Central de Transplantes da Secretaria Estadual de Saúde, que após contato com a unidade de captação, aciona imediatamente o Banco de Olhos.

No IML, o processo de captação é iniciado por uma psicóloga que realiza a abordagem dos familiares no momento em que eles comparecem no órgão para os procedimentos de identificação e liberação das vítimas. Quando o familiar não está presente, os técnicos em necrópsia entram em contato com a psicóloga e esta busca o contato com estas famílias.

Para que a doação seja efetivada, é preciso que a pessoa em vida manifeste o interesse para a sua família. Contudo, quem decide no momento da abordagem é o familiar, sendo ele de primeiro grau (pai, mãe, filhos, avós, esposas se forem casados em cartório), por meio de assinatura de um termo de autorização.

Dia Nacional do Doador de Órgãos

Na segunda-feira (27.09) foi comemorado o Dia Nacional do Doador de Órgãos. Em alusão à data, servidores da Diretoria Metropolitana de Medicina Legal da Politec foram recepcionados  com um café da manhã promovido pelo Banco de Olhos de Cuiabá.

Você pode gostar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: