Primeira-dama e secretária da Mulher recebem 2 mil absorventes

Por Editor

O objetivo da campanha é oferecer dignidade menstrual às mulheres que não têm condições de adquirir o produto

Redação

A primeira-dama Márcia Pinheiro e a secretária da Mulher, Luciana Zamproni, receberam 2 mil absorventes arrecadados, nesta terça-feira (01), da Câmara Municipal de Cuiabá. A ação mobilizada pela Sala da Mulher é direcionada à campanha ‘Cuiabá Por Elas’ da Prefeitura de Cuiabá.

De acordo com a primeira-dama da Câmara Municipal e madrinha da Sala da Mulher, Amábila Camargo, a adesão da campanha surgiu da preocupação com as mulheres que não conseguem gerenciar o ciclo menstrual de forma saudável e correta.

“Temos que derrubar de vez esse tabu e falar mais sobre a pobreza menstrual, que já levou uma a cada quatro meninas a faltar às aulas por não ter absorvente. A falta de acesso a itens básicos de higiene é uma realidade de milhões de meninas e mulheres no Brasil. Por isso, quando soubemos da campanha não pensamos duas vezes em fazer essa parceria”, explicou.

Para a primeira-dama, Márcia Pinheiro, o impacto da falta de itens básicos de higiene vai além do constrangimento e desconforto. Sem alternativas de acesso ao absorvente, mulheres arriscam a própria saúde improvisando com retalhos de pano, sacolas plásticas, jornais e ainda colocam a saúde em risco, já que ficam vulneráveis a desenvolver infecções.

“Quero agradecer a todos os envolvidos da Sala da Mulher, que não mediram esforços e abraçaram essa campanha conosco. Os absorventes serão direcionados às nossas garotas do Programa Siminina e todas as mulheres que vivem em vulnerabilidade social e não tem condições de comprar este item de higiene”, afirma.

Segundo a Secretária Municipal da Mulher, Luciana Zamproni, este assunto se tornou um problema de saúde pública, porque 26% das meninas brasileiras entre 15 e 17 anos sequer têm condições de adquirir o produto. Ela ainda explica que uma família com maior situação de vulnerabilidade e renda menor tende a dedicar uma fração menor de seu orçamento para itens de higiene menstrual, uma vez que a prioridade é a alimentação.

“Muitas meninas ainda sofrem com estigmas relacionados à menstruação, o que tem grande impacto em sua autoestima para toda a vida. Além disso, traz consequências para a socialização com sua família e seus pares, muitas vezes refletindo, inclusive, na vida escolar, especialmente entre adolescentes, levando até ao abandono dos estudos. Por isso, é essencial que tenham acesso a informações corretas sobre o tema, além de condições dignas de higiene, e que a discussão seja feita abertamente na sociedade para impulsionar melhorias”, diz a secretária da pasta.

Você pode gostar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: